quarta-feira, 9 de abril de 2014

Negação

nesta morte a que me dei
não há nada de permeio:
nem angústia nem saudade.
só uma tristeza vazia,
funda, bravia e sombria
que nem sequer é verdade…


o que em mim há de humano
já não respira, nem sente.
semeada ao abandono

não sou raiz, nem flor e nem semente…


Amélia Veiga

1 comentário:

Rosário Freitas disse...

A saudade sempre presente na sua poesia. Um grande beijinho poetisa Amélia Veiga.