quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Acaso

nasci da dor somente,
da dor não redimida
pelo amor…

uns braços desencantados
me cingiram.
uns olhos de agonia saturados
me espreitaram.

não fui a bem-amada,
a prometida.
fui apenas o acaso
numa vida.

Amélia Veiga

1 comentário:

Majo disse...

Poema de uma beleza perfeita, mas triste...

Nunca vou perder a esperança de ver Angola cantada numa poesia de pensamentos positivos e alegres, como o temperamento do seu povo.