sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Me reconstruindo

onde ontem me torturavam
renascem as pálpebras demolidas
posso ver pedras que baralham pedras

posso ver a cor de todas as pápebras
alçadas do escombro
ou como eram trémulas mãos
adejando outras pálpebras,

escombro de mim pedra numerosa
me levanto e reconstruo
o que a mão tem dentro de mim;
encho as pálpebras é porque choro
se choro refaço o sonho, é verdade.
verdade acumulada de todos meus dias.

João Tala

Sem comentários: