sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Num bago de romã...

num bago de romã
morre
um fogo-fátuo errante,
furando a rocha
à luz duma tocha
fumegante...

num bago de romã
vejo macabras ortigas
de mim,
uma vez loiras espigas:
sombras de mim
e do que serei...

um bago de romã encerra
tudo que na terra
semeei...

Tomaz Kim

Sem comentários: