quarta-feira, 10 de abril de 2013

Exprimo-me pelo silêncio

exprimo-me pelo silêncio
em torno de mim decretado.
cumpro pena de ausência
por insubmissão
e reincidência.
vivo no segredo sintonizado de quem me sabe.
sou
na negação com que me afirmam.
reconhecem-me omitindo-me,
logo existo.
por isso resisto.
o exílio é a pátria
que me confirma
no meu país confiscado,
onde a nação abortou.
oiço-lhe os gritos
e como outrora
busco as sementes de uma nova aurora
entre as raízes
que ainda o são.
estou presente
queiram ou não
os meus juízes.

Manuel dos Santos Lima

Sem comentários: