quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Aqui no cárcere

aqui no cárcere
eu repetiria hikmet
se pensasse em ti marina
e naquela casa com uma avó e um menino

aqui no cárcere
eu repetiria os heróis
se alegremente cantasse
as canções guerreiras
com que o nosso povo esmaga a escravidão

aqui no cárcere
eu repetiria os santos
se lhes perdoasse
as sevícias e as mentiras
com que nos estralhaçam a felicidade

aqui no cárcere
a raiva contida no peito
espero pacientemente
o acumular das nuvens
ao sopro da história

ninguém 
impedirá a chuva.

Agostinho Neto
(Cadeira da PIDE
Julho de 1960)