sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Lei

livre, livre mas sem asas.
homem apenas.
a fronte erguida
o olhar em frente
o lábio a sorrir
para a manhã...

os passos
apenas vão seguindo
o que na rasgada treva se adivinha...

os braços construindo
o que é flor, e é fruto,
e é semente,
e flor e fruto
de amanhã...

e vamos:
o mundo que nos leva
vai,
não fica à nossa frente.


Alexandre Dáskalos

1 comentário:

vieira calado disse...

A minha 1ª visita, creio.
É sempre bom conhecer novos poetas.
Saudações minhas!