segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A voz da terra

I
a poesia nasce como os rios
e as pessoas
as avenidas
 e o mar
porque a poesia vive em tudo
e em tudo se confunde 
com o sonho.

II
a rocha o vento a ave
deslumbraram-se
do seio
a terra transformou-se em homens...

e vieram braços
e vieram homens
a terra transformou-se em pão...

e mais homens
e mais braços
e anseios
a terra transformou-se em luz...

e luz
e homens
e braços
até que a terra se transforme
na terra dos seus filhos.

Costa Andrade

1 comentário:

Fanzine Episódio Cultural disse...

Ondas são como o beijo:
Oferecido pela pessoa amada
Deixa-nos sedentos de amor.
Mas quando frio, gelado
Deixa-nos cada vez mais finitos.

(Agamenon Troyan)