segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Baila-baila

meus versos perdidos...
meus versos achados...
vão uns, vêm outros...,
e esses se vão
de novo, enganados.

são versos perdidos...
são versos achados...

(meu deus, fui sincera?
se o não fui, quisera!)

e os versos são meus,
bem meus, porque não?...
só não sei dizer
quando são perdidos,
ou quando não são...

e assim, nos bailados
do rumo-sem fim,
eu vou-os tecendo...

levando-os... trazendo-os...
em busca de mim!...

Alda Lara

Sem comentários: