quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Renúncia


entorno os olhos
neste dia longo de renúncia
e vejo para além da vida…
acaricio os crepes que me vestem
a alma dolorida
e vejo para além da morte…

o sonho escorre sobre mim
como água de chuva
que os meus dedos não prendem…

estou fria e distante
como uma estátua antiga
num jardim…

do sonho estou viúva
e viúva estou… de mim…

Amélia Veiga

Sem comentários: