quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Os rios riem

os idos e tombados rio rios rio
o conto
dos números
que embebedaram tabuadas
rios
motivo dos dongos voltarem nossos
nos percursos da história

idos e tombados os rios riem
na água
sua força o firmamento da áfrica

manhãs ngolas renascendo
eis que os pássaros de novo cantam nossas as árvores
e da guerra a ânsia de nos suspirarem
os ventos sopram nossos os ventos que ventam
(ventam) árvores
bongas muxitos
hora nossa

Jorge Macedo

Sem comentários: