segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Poema no vento e no tempo


vivendo na nortada do vento
tempos-sul
persistem e florescem
lianas
entrançando a alma
com odores-vento
perfumes-tempo
desabrochando meninos
risos de welwitschias.

e aqui, neste corropio europeu,
vou fugindo
ousando, ainda, sonhar
o luando-prata
leve flutuando… carvão.

Namibiano Ferreira

Sem comentários: