sexta-feira, 13 de julho de 2012

As sirenes em Maio

... e os gritos das sirenes
dilaceram a noite
e invadem a cidade
nossas grutas de silêncio
e penetram nas ruas e nos corpos
e rasgam as pálpebras fechadas para as mortes
que adivinhamos em cada tiro
e enterram nos corações a seiva do tremor
que nos vai agitar os dedos.

os gritos das sirenes em maio
ferem fundo.

nos nossos olhos        antigas lagoas
brota sangue

ao romper do dia
as sengas de esperança
emergem daquela cor.

Arnaldo Santos

Sem comentários: