quarta-feira, 4 de abril de 2012

Voz do sangue

palpita-me
os sons do batuque
e os ritmos melancólicos do blue.

ó negro esfarrapado
do harlem
ó dançarino de chicago
ó negro servidor do south

ó negro de áfrica
negros de todo o mundo

eu junto
ao vosso magnífico canto
a minha pobre voz
os meus humildes ritmos.

eu vos acompanho
pelas emaranhadas áfricas
do nosso rumo.

eu vos sinto
negros de todo o mundo
eu vivo a nossa história
meus irmãos.

Agostinho Neto

Sem comentários: