segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Pastorela

sou pastora: guardo poemas
rebanho que a ti me leva
por carreiros doutra vez
que fecundo em cada treva.

sou pastora: guardo Abril
pelas montanhas de lã
e a fartura para abrir
quando o leite diz amanhã.

sou pastora: guardo amor
guardo angola, aqui por onde
o meu rebanho é de sol
que fecundo em cada fronde.

Manuela de Abreu

Sem comentários: