sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Poeminha

resta no teu cabelo
um átomo da brisa
que o tocou um dia.
o que há de mais belo
nas paisagens que viste
ficou no teu olhar...
(teu rosto, meu anelo!)
...há nesse olhar também
- não mo dizes, mas sei -
a sombra da minh'alma
projectando-se ausente...
para quê escondê-lo?

Mário António