quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Poema da manhã

os nossos filhos
negra
hão-de trazer as ambições estampadas
nos olhos claros.

os nossos filhos
negra
hão-de trazer a vida à flor da pele escura.

os nossos filhos
negra
hão-de gargalhar o seu desprezo pelas universidades da europa
e hão-de rir-se dos que ficarem atrás nas classificações.

Os nossos filhos
negra
hão ser belos
hão-de trazer nas veias o sangue mais puro e mais vermelho
das raças de angola
e os seus peitos
hão-de chegar primeiro nas competições desportivas
da américa, da europa e do mundo.

os nossos filhos
negra
serão os construtores, os engenheiros, os médicos, os
cientistas do mundo que vem

eles pisarão quem se lhes atravessar na frente
eles hão-de fazer soar os “booguie-wooguies” de armstrong e peters
nas “boites” de paris, londres, moscovo e nova iorque
e não mais terão lugares secundários nas bichas de autocarros de joburgo.

e principalmente
negra
os nossos filhos

chegarão sempre primeiro
nas competições espirituais e desportivas
da europa
da américa
e do mundo.

e principalmente
negra
eles serão
os nossos filhos.

Ernesto Lara Filho