sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Sonhos

vem! desliza para fora
de ti
e cobre-te com o cacimbo
da minha ténue madrugada.
a minha mão aberta
será a flor
com que ornarás
a anhara enorme
do teu espanto
e na mulola do teu olhar
deslizarão os meus
sonhos
num dongo
sem leme…

vem! junta-te a mim
e vamos rumar ao planalto
da esperança
pelo bruco que as
tochas de lua
deixam ver…

Jorge Arrimar