segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Psiquiaria II

todos me acham que sofro de miséria
faço de cada história um reboliço.
mas devagar essa cicatriz banal eu escrevo;
esse ardil de loucos é um poemário;

um documento daquelas minhas dores.
tudo vai mal, dizem. Tudo vai !
vai a raiva tão simples como fazer perguntas;
vai de passada qualquer maluco palpitando muita gente;

e vão outros palpitando os relógios automáticos:

...tic-tac tic-tac tic-tac...
os tique-taques nascem das nossas bocas.
bocas dissolvidas. Noites volémicas..
os sentidos moídos na rua dos atritos.

João Tala