quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Como a natureza é egoísta

tu podias deter-te. docemente.
e ensinar aos outros
o que não aprendeste.

tu podias prosseguir a tua marcha heróica
e ver de perto com a natureza
o que a natureza não te permitiu ver.

tu podias deter-te.
mas não adiante da minha tumba.

o último acto -
o teu último acto
tu conhece-lo:
ele torna mudos os teus braços...
surdas as tuas palavras
e cega a tua língua
crivada de palavras
que tu ignoras.

João Maimona

Sem comentários: