segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O encontro das mãos

quando
no encontro das mãos
damos o encontro dos destinos
e nos nossos rostos reconhecemos
a mesma estrela que amanhece

quando
no encontro das mãos
agarramos nos dedos apertados
a fibra dos músculos prontos
e o tamanho do salto p'ra muralha

quando
no encontro das mãos
entrelaçamos todos os elos numa só corrente
o povo na luta

então
sagramos no latejar dos pulsos
a vontade de pertencermos ao futuro
quando a paz for apenas a luta mansa
do esforço dos homens sobre a terra.

Arnaldo Santos