sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Essa pomba de Picasso!

é em vão
que querem engaiolar
essa pomba,
essa pomba de Picasso!

com que raiva lhe tentam deitar a mão
os senhores dos “trusts” de aço,
das minas e dos petróleos,
os que fabricam canhões
os da finanças e os dos negócios,
os do feroz capital…

é em vão!
amparada pelos simples,
adeja no coração
dos homens e das mulheres
de todas as latitudes,
de todas as longitudes.

mas, cuidado, isso não basta,
oue os caçadores são hábeis.

é precisa uma floresta de braços
erguidos para a proteger,
e uma torrente de sonho,
de entusiasmo, de juventude e de fé;
que todos, todos de pé,
a saibamos defender
na procura do caminho
que dos nossos corações
vai direito ao imenso azul…

para que adeje no espaço
envolvendo o mundo inteiro
no seu destino de amor…
ela,
essa pomba,
essa pomba de Picasso!

Lília da Fonseca

Sem comentários: