sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Poema universal

no coração de um negro
a dor é universal.

é a dor dos encurralados
nos slums de nova York
a dor que se faz ódio à solta
nas ruas de los angeles
a que não respeita bastões nem algemas
nem se fina nas celas de morte
é a dor à solta nos bairros do apartheid
a que não morre soterrada nas minas do rand
e vence quilómetros e quilómetros de arame farpado
é a dor da tortura
a que sobe das paredes frias de poulo-condor
do tarrafal
da ilha do governador
a dor que grita em coágulos de sangue
nos sexos das djamilas boupacha
uma dor igual que não conhece fronteiras
impelindo os homens à redenção

- uma dor universal

Jofre Rocha