segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O meu amor é assim

saio dum ninho de alfombras
onde vive o baobá,
e vou buscar outras sombras,
vou buscá-las
onde as não há!



torno bendito o deserto
a transmitir suas mágoas!
sua virtude anda perto,
mas longe andam as águas!



e se esse longe distante
da selva nunca tem
fim,



no meu desejo constante
o meu amor
assim!



Maria Joana Couto

1 comentário:

Leonardo B. disse...

[essa estranha fronteira onde o corpo se faz duplo deserto, aonde regressa a luz tecido na letra]

um abraço,

Leonardo B.