sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O búzio

fecha só os olhos meu amor. e devagar
escuta os mesmos sons. a água
escorre para a sede quente:
areia de pés nús.

encosta só o ouvido. respira
esta harmonia deste corpo. os mesmos sons
projectos do tamanho deste mar.

suave esta espiral. flauta de ruídos
para ouvir.
e não se parte o corpo. só pelos sons
os mesmos sons. tocata para um dia.

escuta. compara. não vês diferença
entre o cantar e o ser
de uma alegria?

Manuel Rui