segunda-feira, 21 de março de 2011

Quero uma noite de fantasia

quero uma noite de fantasia
uma noite de futuro
para toda a minha África.
não quero nada mais que esta noite.

estão os meninos adormecidos,
não há cazumbis nos caminhos,
estão as fomes interrompidas.

ouve o quissange!

noite madura e larga
como o horizonte,
mochos calados,
rios de eternidade,
aromas sublimados,
oração do silêncio.

ouve o quissange!

germinam as sementes
no pensamento das gentes,
não há maldições no vento,
não sussurram os mistérios,
não há rusgas nos quimbos;
descem as bênçãos
até aos mortos de apelidos perdidos.

ouve o quissange!

a paz e o amor
caminham de mãos dadas na noite.
no mundo tudo está certo,
o verme e a pedra,
a flor e a estrela
tudo está em ordem.

ouve o quissange!
ouve… ouve…

Manuel dos Santos Lima