quarta-feira, 9 de março de 2011

Nocturno

veio até mim a noite
e ficou presa nos meus cabelos, negrejando...

veio até mim o silêncio
e ficou suspenso comigo, meditando...

veio até mim a aragem acariciante
e o som distante
do batuque selvagem...
e os gritos roucos
das danças macabras e voluptuosas...

veio até mim
o perfume subtil das rosas do jardim.
veio até mim,
suavemente,
a estranha perturbação do momento...

Amélia Veiga

1 comentário:

Ana Tapadas disse...

Agora ando por Moçambique...meu amigo.
Beijo