quarta-feira, 30 de março de 2011

Contrato

como poalha cinzenta de cacimbo
descera um doce lucilar dorido
no olhar familiar com que no quimbo
a todos deslumbrara… apetecido…

várias luas, então, eram passadas
- nova promessa o verde renascido –
inda doíam lágrimas choradas
pelo que fora, um dia… compelido…

e, à noite, enquanto os velhos na fogueira,
lembrando companheiros já caídos,
pareciam parados vida inteira,

julgava, ela, nos ventos, os vagidos
antes sonhados a nascer na esteira
como frutos do seu ventre saídos.

António Cardoso