segunda-feira, 4 de outubro de 2010

No céu azul distante

no céu azul distante
a grande roda vermelha
em tempo
que inda não é tempo
de dança
o pescador
de seu dongo de sombra
lança redes
perdendo-se em quadriculado
por
a grande roda vermelha
no céu de azul distante
em tempo
que inda não é tempo
de dança

Arlindo Barbeitos

Sem comentários: