quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Welwitchia Mirabilis

como esquecidos esqueletos
dormindo...
na poeira de oiro desbotado
pedras brancas
alvejadas na triste secura do chão.

formas estranhas de gravetos
cheios de quebras e espinhos
negrejam de quando em vez
neste chão viúvo de caminhos.

crucificada
numa encruzilhada que não existe
a forma triste e estatelada
duma welwitchia sem cor
marca o lugar do encontro
do nada com o esquecimento.

o céu cor de cinza, carregado
de destino
olha para o quadro deserto
fechado...
a coisa não merece céu aberto...
com ar desconsolado
de quem já não vale a pena.

estou ali também sentado
sou o toque de humano e pungente
naquela paisagem do deserto.

Neves e Sousa

Sem comentários: