sexta-feira, 2 de julho de 2010

Pausa

e se os teus olhos não tivessem tanto
murmúrio de sorrir e de cantar
onde andaria a borboleta livre
que vive no encanto
de nos ver voar

e se os teus braços não fossem de crista
da onda onde sabemos naufragar
como seria o nosso mar sem fundo
e o céu sem fim
de nos sabermos dar.

Manuel Rui

Sem comentários: