segunda-feira, 17 de maio de 2010

Ave da madrugada

ave da madrugada
prometida
sobre a margem futura
do rio fremente,
voa-me tua semente
nesta viagem
sentida e pura
nos nervos tensos…

ave da madrugada
diferente
sobre o céu fecundo
dos bosques densos do mundo,
voa-me tua semente
nesta viagem
dorida e madura
nos nervos tensos…

ave da madrugada
certa
sobre a agonia do mar
dos ossos insepultos,
voa-me tua semente
nesta viagem
desperta e dura
nos nervos tensos…

ave da madrugada
rutila
sobre o chão absoluto
das lavras do futuro,
voa-me tua semente
nesta viagem
que cintila e perdura
nos nervos tensos…

António Cardoso

1 comentário:

Florentino disse...

ave da madrugada esperando por mi.,., lindo poema