sexta-feira, 30 de abril de 2010

Mamã

mamã
mamãzinha
onde estás? Porque não vens
neste dia 8 de Dezembro
ao meu chamamento?

mamã
mamãzinha
porque não respondes?

os meus olhos cruzam-se
perdidos no mar alto da incerteza
cheios de lágrimas de tédio.

mamãzinha
a minha face é a face amarela
dos mortos esbofeteados.

o meu corpo é mapa-mundi
das terras onde morri e ressuscitei
onde mataram a minha mãe,
onde enforcaram o meu pai
onde acorrentaram o meu filho.

mamãzinha,
vem… estou vivendo o minuto de espera
o minuto eterno que me faz desesperar!

Samuel de Sousa

1 comentário:

M. Sousa Sequeira disse...

ESTARÁS PARA SEMPRE NO CORAÇÃO DO POVO DE MALANJE E DE ANGOLA AVÓ SAMUEL..