domingo, 3 de janeiro de 2010

da guerra colonial

Não é verdade que as guerras transformam os homens em bestas. Os que o são, simplesmente exacerbam o facto. Os que não o são continuam a ser o que sempre foram: seres humanos, com os seus defeitos e virtudes.
Este caso vivido por um soldado português na guerra colonial é um hino à condição humana. Um entre tantos. Porque portugueses e angolanos nunca foram inimigos.
Um soldado-poeta. E um poema que um dos mais importantes cantores portugueses, Samuel, musicou.
E conta aqui a história.
São “inimigos” destes que os povos, todos os povos, precisam. Porque os povos, todos os povos, querem a paz.